DHS reforça apoio ao programa de aleitamento materno “Um Jacto de Amor”

Unidades de Saúde estão engajadas no trabalho de conscientização de doadoras

O Departamento de Higiene e Saúde de Pompeia, em apoio ao Projeto “Um Jacto de Amor’, que realiza desde 2008 um trabalho de conscientização junto a mães que tenham farta produção de leite, segue em busca de voluntárias dispostas a doar seu leite a bebês que estão internados ou cujas mães não produzam leite suficiente.

O leite materno é o melhor alimento para os bebês até o sexto mês de vida e garante uma série de benefícios à saúde do recém-nascido. A ação visa conscientizar a sociedade sobre a importância do aleitamento materno. “Em Pompeia, nós da rede pública de saúde, através das enfermeiras e equipe das USFs, seguimos com os trabalhos de orientação e conscientização sobre a necessidade e importância do aleitamento materno, pois muitas vezes, um parto prematuro ou um problema de saúde impedem que a mãe consiga produzir o leite necessário para o recém-nascido”, enfatiza a enfermeira responsável pelo Programa Saúde da Família, Gislaine Souza.

Vale ressaltar que todas as unidades fazem esse trabalho de conscientização e captação de doadoras, encaminhando essas mães para o programa de coleta, aumentando assim os estoques. “Nosso intuito é fortalecer o vínculo que as unidades têm com as gestantes do Município”, completou Gislaine.

Coordenadora do programa “Um Jacto de Amor”, Celina Nishimura explicou que todo leite coletado é direcionado aos bancos de leite e distribuídos de acordo com a necessidade de cada um, suprindo maternidades e UTIs responsáveis pela alimentação de dezenas de bebês internados. “Nós vamos até a casa das mães e as orientamos sobre como deve ser feita a retirada do leite, condições de higiene no manejo, a forma de armazenamento adequado, dentre outras dúvidas que elas possam ter”, disse. Nesta visita, as mães que colaboram com o projeto recebem ainda um kit para a coleta, composto por touca, gases, máscara e frascos esterilizados.

Para doar, a mulher precisa estar amamentando exclusivamente no peito e se dispor a doar o leite que estiver sobrando. Este é retirado depois que o bebê mama ou quando as mamas estiverem muito cheias. A doadora precisa ser saudável, não fazer uso de medicamentos ou drogas, não fumar e não fazer uso de álcool. As mães que se enquadram nos critérios estabelecidos, podem procurar as unidades de saúde ou fazer a ligação direta para o próprio programa, por meio dos telefones: 3452 2097 (Celina), 3452 4456 (Leila), 3452 1948 (Wanda), ou pelo telefone 3405 2283 – ambulatório da Unipac. Feita a coleta, o frasco com o leite é armazenado no congelador ou freezer, onde pode ficar por até 15 dias.

O leite materno contribui para a formação do sistema imunológico da criança e tem um efeito preventivo contra a obesidade, algumas formas de alergia, linfoma, diabetes, doenças cardiovasculares e do aparelho digestivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *