Vigilância realiza inquérito canino em Pompeia

Trabalhos de coleta de sangue e realização de exames laboratoriais em setores estratégicos indicadas pela SUCEN, já acontece no município.

O Departamento de Higiene e Saúde de Pompeia, através da Vigilância Sanitária, que iniciou ainda no mês de março o Inquérito Canino para diagnóstico de Leishmaniose Visceral Canina, segue com o trabalho que vem sendo desenvolvido pelas veterinárias do setor com o apoio dos Agentes Sanitários.

Segundo o setor, os bairros que serão visitados são indicados pela SUCEN (Superintendência de Controle de Endemias), devido aos registros da transmissão em caninos em anos anteriores, além dos riscos do mesmo acontecer em humanos.

Segundo João Marcelo Destro “Shell”, responsável pelo setor, o inquérito canino este ano começou mais cedo, e segue na fase de coleta do material (sangue) dos cães, e realização do primeiro exame ainda em Pompeia. A coleta é realizada em todas as quadras dos bairros indicados. As amostras de animais reagentes neste exame, são encaminhadas para o Instituto Adolfo Lutz para exame confirmatório.

“Shell” solicita ainda aos moradores para que facilitem o acesso das equipes para desenvolvimento da ação. Nesse trabalho, a equipe faz visitas casa a casa informando aos moradores que possuem cães, sobre a necessidade da coleta de sangue para o diagnóstico, além do trabalho de orientação sobre prevenção e manejo ambiental. “O diagnóstico precoce nos cães minimiza os riscos de transmissão da doença aos seres humanos”, completou.

Prevenção

A proliferação do mosquito palha acontece em áreas com acúmulo de resíduos e matérias orgânicas, bem como em locais onde existam animais de criação em ambientes sem limpeza diária, como galinheiros, por exemplo. Por isso, limpe sempre o ambiente interno e externo das residências para evitar a presença do mosquito. Recolha as fezes dos animais diariamente, embale o lixo corretamente e não jogue folhas e resíduos orgânicos em terrenos baldios, públicos ou particulares. Áreas localizadas próximas à matas também apresentam maior risco para a atuação do mosquito. No animal, o uso de coleira repelente é o método mais eficaz na sua proteção.

Sintomas no Animal

– Emagrecimento, fraqueza, queda de pelos, descamação, crescimento exagerado das unhas, feridas no focinho, orelha e patas.

Sintomas de Leishmaniose em Humanos

– Febre intermitente com semanas de duração, fraqueza, perda de apetite, emagrecimento, anemia, palidez, aumento do baço e do fígado, comprometimento da medula óssea, problemas respiratórios, diarreia, sangramentos na boca e nos intestinos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *