Unidades de Saúde disponibilizam preservativos e realizam testes rápidos de HIV

Preservativos masculinos ou femininos são oferecidos a pessoas sexualmente ativas, reduzindo o risco de transmissão do HIV e de outras Infecções, além de evitar a gravidez

O Departamento de Higiene e Saúde de Pompeia, distribui gratuitamente em vários pontos da cidade camisinhas externas e internas, tornando acessível à população um dos métodos mais eficazes para a prevenção das infecções sexualmente transmissíveis, as ISTs. Elas também oferecem proteção contraceptiva, evitando uma gravidez indesejada.

O preservativo externo tem grande eficácia na prevenção das infecções sexualmente transmissíveis, como o HIV e a sífilis, além de prevenir a gravidez. Já o preservativo interno é utilizado dentro da cavidade vaginal ou anal e, assim como o externo, também serve para evitar uma gestação e prevenir o HIV e outras ISTs.

“A ideia não é incentivar o sexo. É incentivar a preservação das pessoas para que elas posam se prevenir contra as ISTs. No momento, a campanha foca o HIV”, afirmou a enfermeira epidemiológica Adriana Fernandes Parra, responsável e coordenadora do Programa Saúde da Família.

Vale ressaltar que os dois tipos de preservativos jamais devem ser usados ao mesmo tempo, visto que a fricção entre ambos pode levar a rasgos e, consequentemente, a perda da eficácia.

Em Pompeia, os preservativos internos podem ser retirados gratuitamente em qualquer uma das 9 Unidades de Saúde do município.

Teste rápido

A testagem para HIV não deve ser realizada imediatamente após a relação desprotegida. Isso porque o corpo demora cerca de 30 dias para produzir anticorpos suficientes contra o HIV capazes de serem detectados pelos testes. Caso os testes sejam realizados dentro desse período, o resultado pode ser negativo (não reagente), mesmo a pessoa tendo sido infectada. Desta forma, é necessário aguardar pelo menos 30 dias (janela imunológica) após a exposição de risco para realização do teste rápido.

Caso a relação desprotegida tenha sido em menos de 72 horas, procure uma unidade de emergência e será avaliado o uso da Profilaxia Pós-Exposição (PEP) ao HIV, que consiste no uso de medicamentos para reduzir o risco de adquirir infecção pelo HIV, hepatites virais e outras infecções sexualmente transmissíveis.

Quanto antes iniciado o tratamento, melhores são os resultados. O tratamento é integralmente disponibilizado pelo SUS, responsável por oferecer o cuidado integral, que inclui o tratamento medicamentoso e os exames necessários para todas as pessoas diagnosticadas.

Seguir o tratamento é fundamental para o controle do vírus HIV e o alcance de índices indetectáveis do vírus. A carga viral indetectável, além de diminuir o adoecimento e até a morte, não transmite o vírus. Porém, deve-se cuidar das outras ISTs.

A pessoa diagnosticada com HIV precisa adotar medidas de prevenção para evitar a transmissão para outras pessoas, a sua reinfecção pelo HIV ou a infecção de outra IST.

É importante lembrar que o corpo demora cerca de 30 dias para produzir anticorpos suficientes contra o HIV capazes de serem detectados pelos testes. Caso os testes sejam realizados dentro desse período, o resultado pode ser negativo (não reagente), mesmo a pessoa tendo sido infectada. Desta forma, é necessário aguardar pelo menos 30 dias (janela imunológica) após a exposição de risco para realização do teste rápido.

PROCURE UMA UNIDADE DE SAÚDE E FAÇA SEU TESTE RÁPIDO. NÃO É NECESSÁRIO AGENDAR ANTES. O TESTE É REALIZADO NA HORA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *